O chocolate é um doce que vai bem no paladar da maioria das pessoas. Bastante usado em sobremesas, o alimento pode ser benéfico, mas também trazer malefícios para a saúde. Isso porque, há uma variedade de chocolates alguns possuem mais propriedades enquanto outros não são tão proveitosos assim. Sem contar que, quando o assunto é chocolate a quantidade consumida é relevante e pode provocar alterações em nosso organismo.


Quando o chocolate traz benefícios?


Comer chocolate não é algo prejudicial desde que seja consumido em quantidades adequadas, até porque, comer um tablete é bem diferente de ingerir um ovo de páscoa inteiro. Uma porção pequena de 25 gramas de chocolate por dia faz bem para a saúde, devido as propriedades do cacau, quanto maior o percentual de cacau, melhor.


Os benefícios do chocolate podem ser encontrados nos compostos bioativos que apresentam ação antioxidante, como as antocianinas que inibem a liberação de espécies reativas de oxigênio, reduzem a peroxidação lipídica mediada por radicais livres e diminuem a oxidação das partículas de LDL-colesterol. O cacau também possui catequinas, que têm efeito cardioprotetor capaz de reduzir a pressão arterial e inibir a captação de LDL-colesterol oxidado, além de ser anti-inflamatório. Os polifenóis do cacau também contêm ação estimulante e cognitiva, pela liberação de neurotransmissores.


A quantidade


Todas as vantagens mencionadas acima estão disponíveis em chocolates que contam com no mínimo 60% de cacau, ou seja, os amargos. Boa parte dos chocolates ao leite, comumente encontrados em supermercados, possuem menos benefícios. Outro detalhe que pode ser uma decepção para os chocólatras é a quantidade indicada. Segundo estudos e organizações de saúde o mais recomendado é que um adulto coma entre 25g e 50g de chocolate por dia, o equivalente a uma barra pequena ou quatro quadradinhos do alimento. Porém, essa indicação é válida para pessoas fisicamente ativas, sem problemas de saúde e que não estão preocupadas em ganhar peso.

De acordo com Clarissa Fujiwara, nutricionista do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), o ideal mesmo é consumir 25g por dia. Enquanto as crianças com menos de dois anos de idade não devem comer doces, incluindo chocolates. Já aquelas que são maiores, a quantidade recomendada é de 15g. Dessa forma, na época da páscoa, uma boa escolha são os ovos de chocolate pequenos que vêm com um brinquedo dentro.

A nutricionista também explica que a quantidade reduzida de chocolate não se restringe somente as crianças. Pessoas que são sensíveis à cafeína também devem evitá-lo, assim como quem tem enxaqueca, já que a substância feniletilamina está presente no cacau e pode causar a dor de cabeça em algumas pessoas.


Quando o consumo de chocolate pode ser prejudicial?


Engana-se quem pensa que o principal prejuízo do grande consumo de chocolate seja um mal-estar passageiro. Segundo Marcella Garcez, nutróloga e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), comer chocolate em excesso no longo prazo pode trazer consequências metabólicas mais sérias, por causa do açúcar e da gordura presente no alimento, o que pode ser agravado ou não conforme as outras características da alimentação diária da pessoa. A alta ingestão de açúcar, que também está presente em outras comidas do dia a dia, pode fazer com que o indivíduo desenvolva resistência insulínica, pré-diabetes e, consequentemente, diabetes. Dependendo do estágio da diabetes, o açúcar que se acumula no sangue pode afetar os olhos, os rins, os nervos, o coração e os vasos sanguíneos.


Já em relação as gorduras saturadas presentes no chocolate, assim como em outros produtos alimentícios, levam ao desenvolvimento de dislipidemias. Ou seja, pode haver um aumento do LDL, colesterol ruim; redução do HDL, colesterol bom; elevação dos triglicerídeos. Assim, a pessoa tem chances maiores de ter aterosclerose, entupimento das artérias; ataques cardíacos; Acidente Vascular Cerebral (AVC); além de outros problemas.

Diferenças entre os principais tipos


Mesmo tendo vários tipos de chocolates, recheados ou não, é importante saber quais são as diferenças entre os principais, tais como:

- Branco


Produzido com manteiga de cacau, leite, açúcar e outros ingredientes, é considerado popularmente um tipo de chocolate, mesmo sem ter a massa de cacau. Não apresenta as propriedades nutricionais do chocolate, que é feito com massa de cacau ou cacau em pó. E é o mais prejudicial à saúde porque tem mais gordura do que os outros tipos de chocolate.

- Ao leite


Feito com cacau, leite, açúcar e outros ingredientes. De acordo com a resolução da Anvisa, o chocolate ao leite precisa ter, no mínimo, 25% de sólidos totais do cacau.

- Amargo


Preparado com pelo menos 50% de massa de cacau, normalmente é feito com pouco ou nenhum leite. É o único considerado saudável. Quanto maior o teor de cacau, mais benéfico o chocolate será para a saúde.


- Diet ou zero açúcar


Fabricado sem açúcar, mas com uma quantidade de gordura equivalente aos demais.


- Light


Contém 25% de redução de algum ingrediente, o que reduz a carga calórica.

Mitos e Verdades


O chocolate é pobre em nutrientes?

Mito. O chocolate contém antioxidantes, gorduras, proteínas, hidrato de carbono, minerais e vitaminas essencial ao nosso organismo.

Chocolate causa acne?

Mito. Embora muitas pessoas afirmem que o consumo de certos alimentos, como por exemplo, chocolate, azeitonas, batatas fritas, amendoins e refrigerantes está relacionado com o aparecimento da acne, nenhum estudo mostrou que tipo de comida melhora ou piora a acne.

Os processos biológicos que a provocam ainda não são bem conhecidos. A acne é um problema causado por um distúrbio das glândulas sebáceas que atinge grande parte dos adolescentes e algumas pessoas durante quase toda a vida. Fatores como a hereditariedade, desordens hormonais, ciclo menstrual, ingestão de determinados medicamentos, alguns cosméticos, irritações, humidade ou calor excessivos podem influenciar o aparecimento ou agravamento da acne.

Quanto mais cacau, mais benefícios o chocolate tem?

Verdade. Como já foi dito acima, o cacau é um alimento rico em componentes antioxidantes, auxilia na redução do colesterol total, da aterosclerose, do colesterol ruim e da pressão arterial. Sendo assim, quanto maior a porcentagem de cacau no chocolate, maiores serão os benefícios para a saúde.

Chocolate amargo ajuda a emagrecer?

Verdade. Com os benefícios do cacau, este tipo de chocolate promove o emagrecimento, desde que seja ingerido em poucas quantidades diariamente, pois possui uma sensação de maior saciedade, menor nível de estresse e sensibilidade à insulina.

Quando o chocolate está esbranquiçado significa que estragou?

Mito. Diferente do que parece, o chocolate é um produto bastante frágil, que pode perder brilho e ganhar uma coloração mate esbranquiçada ou acinzentada quando não é bem conservado. Mas, mesmo com essa aparência o alimento continua próprio para consumo. Isso ocorre devido a formação de cristais de açúcar ou de matérias gordas.


A película esbranquiçada por cristalização do açúcar resulta, geralmente, de uma conservação em ambiente excessivamente úmido. O açúcar migra para a superfície, cristaliza e forma a película. Se quiser evitar essa alteração, guarde o chocolate num ambiente seco.

Se você gosta de chocolate ou não, mas, acima desse detalhe atua na área da nutrição e deseja ampliar seu conhecimento e se tornar um (a) profissional ainda mais capacitado (a), conheça e faça a sua matrícula no MBA em Gestão da Qualidade, Produção e Higiene de Alimentos do Incursos. Desperte o (a) especialista que há em você e se destaque no mercado de trabalho.


Fonte: Guia da Semana, Viva Bem e Deco Proteste

Imagem: 123RF