Os produtos alimentícios, de maneira geral, antes de chegarem ao supermercado são submetidos a vários processos na indústria para que o padrão de qualidade seja mantido e o alimento vá para o lar do consumidor em perfeito estado. Uma destas etapas é a análise físico-química, realizada em laboratório de estrutura diferenciada para atender às normas necessárias de controle de qualidade e de controle sanitário. Neste ambiente, vários testes são realizados nos produtos alimentícios antes da liberação para venda. Até porque, a análise consegue identificar a presença de elementos que podem ser altamente prejudiciais à saúde humana.

A análise físico-química é um sistema obrigatório, determinado pela Vigilância Sanitária, Ministério da Agricultura, entre outros. Dessa forma, na intenção de atingir a qualidade exigida pelos órgãos de fiscalização responsáveis e suprir a expectativa e necessidade dos consumidores, os laboratórios especializados fazem diversos testes. Esses testes precisam atender às especificidades do alimento. Um determinado óleo e uma peça bovina, por exemplo, passarão por diferentes métodos existentes dentro da própria análise físico-química dos alimentos.

O que é avaliado?


Por meio de equipamentos tecnológicos e do suporte de especialistas, são analisados nos alimentos certas propriedades, tais como: valores nutricionais, proteínas, carboidratos, fibras, adulterantes, entre outros parâmetros. Não é à toa que a grande maioria dos produtos alimentícios contenham a informação nutricional em suas embalagens, pois, a análise físico química de alimentos é feita em produtos industrializados, em elementos de origem vegetal e nos de origem animal. Estas análises servem de auxílio na comercialização de produtos para que estes sejam vendidos de forma segura e altamente padronizada com conceitos de qualidade.

A coleta de amostras deve atender aos níveis de especificidade do produto. O tipo de produto determina também se a coleta deve ser congelada ou embalada em material que faça bloqueio da luz evitando oxidação, como por exemplo, os azeites.

Tipos de testes


Entre os testes realizados na análise físico-química dos alimentos, estão:


Verificação de contaminantes;


Composição química;

Análise da textura;


Nível de viscosidade;

Presença ou quantidade de agrotóxicos;

Umidade;

Valores energéticos;

Vitaminas;

Minerais.

Geralmente, a análise ocorre em um período curto após a coleta para evitar comprometimento do material coletado.

Importância da análise


Como foi dito acima, a análise consegue verificar e confirmar os nutrientes presentes nos alimentos, o que contribui para a construção da tabela nutricional, presente nas embalagens dos produtos. Também é possível saber se o produto mantém a sua qualidade e se realmente está de acordo com o que promete a empresa.

Além disso, os testes estabelecidos na análise físico-química são válidos para locais como restaurantes e lanchonetes. Qualquer produto alimentício está incluído na obrigatoriedade dos testes, até mesmo os alimentos que não são voltados para o consumo humano, como a ração para animais, por exemplo.

A identificação de potenciais agentes contaminantes também é de suma importância para ir ajustando a vida útil do produto. E, a confiança dos clientes reside no cumprimento daquilo que o produto oferece, qualquer que seja a área. Tudo isso é viável graças à realização dos testes da análise físico-química. Além disso, os produtores que estão dentro das normas de análise garantem a qualidade e boa comercialização dos seus produtos e a promoção e manutenção do bem-estar de seus clientes.

Se você trabalha na área da nutrição, de engenharia de alimentos, entre outras atuações e deseja saber de maneira aprofundada sobre a gestão da qualidade dos alimentos, saiba que o Incursos tem uma pós-graduação com conteúdo completo para você. Conheça e faça a sua matrícula no MBA em Gestão da Qualidade, Produção e Higiene de Alimentos. Se torne um (a) especialista e faça a diferença no meio profissional.



Fonte: ALS e GMO

Imagem: 123RF