A quimioterapia é uma forma de tratamento bastante utilizada em pacientes diagnosticados com câncer. Este método faz uso de compostos químicos, chamados quimioterápicos, por se tratar de doenças causadas por agentes biológicos. Infelizmente, a quimioterapia não atinge somente as células com câncer, e acaba provocando efeitos colaterais já que as células saudáveis também sofrem com essa química que é afetada por todo o corpo. Por isso, a alimentação é fundamental para manter o paciente mais saudável e contribuir com o processo terapêutico.


Calorias e proteínas em quantidades adequadas são essenciais para o corpo se recuperar, sendo necessárias antes, durante e após estes tratamentos, pois eles podem causar o que são conhecidos como sintomas de impacto nutricional. Estes sintomas podem interferir no momento do paciente comer, isso porque podem surgir feridas na boca, alteração do paladar, falta de apetite, náuseas, vômitos, sentir-se satisfeito antes de comer o suficiente, dificuldade em engolir, constipação e diarreia.

Se a pessoa com câncer não comer bem, o processo de recuperação pode ser atrasado. Em certas situações, a ingestão inadequada de alimentos pode provocar desnutrição e aumento da toxicidade do tratamento. Estes efeitos podem impedir o paciente de completar o plano de tratamento conforme foi programado e afetar o resultado.

A boa alimentação durante o tratamento pode ajudar a manter ou recuperar o peso, diminuir a toxicidade do tratamento e, assim, ajudar a controlar alguns efeitos colaterais do tratamento. Além disso, as necessidades nutricionais não permanecem as mesmas desde o diagnóstico de câncer até a recuperação, elas vão alterando de acordo com o que o corpo do paciente está passando e o que ele precisa.

Nesse sentido, como a alimentação nutricional do paciente pode mudar conforme o estágio do câncer, o ideal é buscar alimentos que sejam fáceis de digerir e relativamente ricos em calorias, como queijo, iogurte, sorvete. Vale também fazer pequenas refeições ou lanches a cada duas horas e ingerir alimentos que contenham o sabor preferido do paciente. Beber bastante líquido também é de suma importância para se manter hidratado.

Certas recomendações alimentícia são indicadas diante dos efeitos colaterais do tratamento, sendo os mais comuns deles:

Náuseas


Gengibre ( pedaços para mascar) ou Chá gelado de gengibre;

Cubos de gelo de suco de limão;

Suco de acerola bem gelado;

Purê de batata sem leite;

Cenoura ralada crua.


É recomendável também evitar ficar próximo da preparação da comida, para que o cheiro não provoque enjoo. Evitar alimentos condimentados e com odores fortes, assim como sopas e preparações líquidas e quentes. Portanto, prefira tudo que for seco e gelado.

Vômitos


Tomar água bem gelada aos poucos, não tome tudo de uma vez;

Evite preparações líquidas para não provocar mais vômitos;

Evite óleos e gorduras para não dificultar a digestão;


Prefira frutas digestivas como abacaxi doce, mamão;

Mascar hortelã ou chá gelado;

Chás digestivos como camomila e erva doce, podendo fazer cubos de gelos com eles para aliviar o enjoo e os vômitos.


Evite saladas cruas, casca de frutas e alimentos de difícil digestão como carnes inteiras. Use sempre carne moída, frango desfiado, tudo o mais cozido possível para que o calor já derreta o alimento e não force o estômago.


Queda de Cabelo


Consumir mais alimentos ricos em vitamina A: cenoura, mamão, manga, pimentão orgânico;

Vitamina do complexo B : cereais integrais, aveia, gema do ovo, castanhas;

Suplementar via sublingual e não comprimido por conta da absorção no intestino: vitamina D (2000UI) e Vitamina B12 350mcg no mínimo, mas é essencial que o nutricionista indique a dose ideal em cada caso;

Alimentos que contenham zinco: carnes sem hormônios e antibióticos, cacau, kefir, castanha de caju, grão de bico, espinafre;

Castanha do Pará pelo menos 2 unidades por dia antes de dormir.

Mucosite


Evitar alimentos ácidos: frutas ácidas, café, leite e derivados, açúcar refinado;

Evitar alimentos gordurosos: frituras, óleos, esfirra, coxinha, empadinha, bolos com recheios, bolachas recheadas;

Hidrate-se, mesmo que haja dificuldade de deglutir, tente aos poucos. O mecanismo de dor do corpo aumenta quando estamos desidratados.


Prefira alimentos/ preparações frias, já que a inflamação na boca e / ou garganta irá ficar mais sensível com calor;

Evite alimentos crocantes pois, os pedacinhos podem irritar e cortar a mucosa que já está super sensível;

Tomar 3x ao dia suco de aloe vera puro, 2 colheres de sopa. Verifique a procedência dele. Dê preferência para os orgânicos.


Queda da Imunidade


O segredo da imunidade é o intestino, guarde essa informação.


Além da absorção dos nutrientes estarem falhas, pelo processo de regeneração do tecido do intestino que é afetado pela quimioterapia, o intestino é responsável pelas células do sistema imune. Por isso, veja com seu nutricionista se precisa de suplementação dos nutrientes e quais deles podem vir via alimento.


Normalmente a falta de vitamina A, E , selênio, Zinco e Proteína são os responsáveis pela falta de imunidade.

Para melhorar a função do intestino precisamos das bactérias benéficas chamadas de probióticos que podem vir naturalmente de kefir, iogurtes de alta qualidade, probióticos de conserva de repolho/ batata.

Outra forma é por meio de manipulação em farmácia, pelo menos 5 bilhões de bactérias de preferência em sachês e diluídos no chá de erva doce.


O probiótico possui uma difícil capacidade de "morar" no nosso intestino, por isso devemos sempre consumir a noite como o último alimento que o intestino vai receber, assim durante o sono é o probiótico pode fazer seu trabalho e se fixar de forma mais fácil.

Perda de Peso


Coma de pouquinho e de forma espaçada para não concentrar grandes volumes, sentindo-se mais leve, dando tempo para a sua digestão.

Aumente a densidade calórica, ou seja, pode comer uma porção pequena, mas que ela tenha quantidade calórica suficiente para o seu dia e suas necessidades, conforme orientação do nutricionista.

Dor de Cabeça, normalmente por intoxicação do fígado


Especificamente no câncer de mama, pode-se usar chá de boldo associado com frutas vermelhas e hortelã para os casos de dor de cabeça.

Ferva o boldo por 2 minutos, adicionar 1 colher de sopa de frutas vermelhas secas ou 1/3 xícara de fruta vermelha in natura. Se for usar sachê de frutas, use ao menos 2 sachês. Abafe por mais 8 minutos.

Adicione mais alimentos fontes de vitamina B6, B3, Magnésio e Potássio na mesma refeição.

Escolha pelo menos 1: Magnésio - aveia, banana, uva, gergelim, beterraba, batata, peixes, couve e espinafre.


Escolha mais 1 desse grupo: Vitamina B6 - salmão, banana, ervilha, truta, avelã, nozes, ameixa, camarão, abacate e suco de tomate.


Complemente com algo do grupo de vitamina B3 - folhas verde escuras como espinafre, couve, agrião, rúcula, carnes sem antibiótico, frango sem hormônio e amendoim.


E finalize com a família do Potássio: leite e derivados de alta qualidade, abacate, água de coco, laranja, folha de beterraba, semente de girassol, banana, melancia, melão e mamão.

Consultar um nutricionista para desenvolver um plano personalizado pode ajudar o paciente oncológico a gerenciar ou, pelo menos, compensar os sintomas que poderiam impedi-lo de comer. Por isso, se você atua na área da nutrição e deseja atender de forma mais especializada pacientes diagnosticados com câncer, você precisa de uma pós-graduação de qualidade.


Conheça e se matricule na especialização em Terapia Nutricional Oncológica do Instituto Monte Pascoal. Amplie seu conhecimento e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: Nutri Secrets e Nutricia

Imagem: 123RF