A terapia ortomolecular é uma forma de terapêutica complementar que em muitos casos faz uso de suplementos nutricionais e alimentos ricos em vitaminas, como a vitamina C ou vitamina E, para diminuir a quantidade de radicais livres no organismo. Este tipo de tratamento evita que o corpo fique em um processo constante de inflamação assim como o surgimento de algumas doenças comuns do envelhecimento, como artrite, cataratas ou até câncer.

O método funciona, principalmente, com o uso de antioxidantes, melhorando o aspeto da pele, a elasticidade e disfarçando marcas do envelhecimento, como rugas e manchas escuras, por exemplo. Além disso, o objetivo da terapia ortomolecular é equilibrar o ser humano de forma global, levando em conta seus aspectos psíquicos, orgânicos e metabólicos.


A terapia ortomolecular também é capaz de eliminar o excesso de radicais livres que estão no corpo. Os radicais livres são moléculas muito reativas que conseguem afetar as células saudáveis e que, embora sejam um resultado normal do funcionamento corporal, geralmente precisam ser mantidas em baixas quantidades para não causar danos à saúde.


Sendo assim, quando o número desses radicais é muito elevado, especialmente por causa dos hábitos de vida que não são saudáveis como o uso de cigarro, consumo de bebidas alcoólicas, uso excessivo de medicamentos ou até exposição solar prolongada, podem acontecer danos nas células saudáveis, provocando um processo de inflamação frequente que favorece o surgimento de doenças como:

Artrite;

Aterosclerose;

Cataratas;

Alzheimer;

Parkinson;

Câncer.

Além disso, o envelhecimento precoce da pele também é afetado pelo excesso de radicais livres no corpo, sendo a terapia ortomolecular uma boa opção para melhorar a saúde da pele, principalmente dos fumantes.


Terapia ortomolecular e emagrecimento


A inflamação crônica provocada pela alta quantidade de radicais livres pode prejudicar a perda de peso em pessoas que estão fazendo dieta para emagrecer, pois as células ficam inchadas e não conseguem funcionar normalmente, favorecendo o acúmulo de líquidos por todo o corpo.

Então, o fato de fazer uma dieta ortomolecular antioxidante geralmente inclui o uso preferencial de legumes e frutas, que possuem menos calorias e, por isso, contribuem para o emagrecimento. Este tipo de dieta pode ser muitas vezes realizado em conjunto com a alimentação mediterrânea, já que segue os mesmos princípios para manter a saúde e emagrecer.

Dieta ortomolecular


O segredo da dieta ortomolecular está em desintoxicar o organismo. Nesse sentido, nada está proibido, mas algumas coisas devem ser evitadas como comer alimentos muitos condimentados, industrializados e gordurosos. Vale lembrar também que com dieta ou não o ideal é sempre beber bastante água.

Para se seguir a dieta ortomolecular é aconselhado:

Preferir alimentos naturais, como frutas e legumes;

Não comer fritos, não beber refrigerantes e evitar bebidas alcoólicas;

Comer mais fibras, através da ingestão de vegetais crus em todas as refeições;

Evitar a carne vermelha, e embutidos;

Tomar 3g ômega 3 diariamente;

Cozinhar em panelas de barro, evitando o alumínio, para diminuir o risco de câncer.

De acordo com as orientações de médicos ortomoleculares, o recomendado é que se atinja o peso ideal comendo melhor e praticando atividade física. Comer em fast foods e ter uma vida estressante e sedentária agravam o problema e deixam o organismo muito intoxicado.

Como usar os suplementos nutricionais


É importante ressaltar que os suplementos nutricionais antioxidantes devem sempre ser orientados por um nutricionista ou um profissional especializado em fitoterapia ou terapia ortomolecular, já que o tipo e as doses podem variar de acordo com a idade e os problemas de saúde associados, como pressão alta, diabetes ou obesidade.

No entanto, as orientações gerais são:

Vitamina C: tomar cerca de 500 mg por dia;

Vitamina E: cerca de 200 mg por dia;

Coenzima Q10: ingerir 50 a 200 mcg por dia;

L-carnitina: 1000 a 2000 mg diariamente;

Quercetina: tomar 800 a 1200 mg por dia.

Estes suplementos podem ser usados em separado ou em conjunto, sendo muito frequente fazer vitamina C e E juntas, por exemplo.

A terapia ortomolecular é um tratamento válido para todas as pessoas, mas, quando se trata de pacientes oncológicos a nutrição deve ser especial e necessita de profissionais especializados. Portanto, se você atua na área da nutrição e deseja ampliar seu conhecimento para melhor atender esses pacientes, matricule-se na especialização em Terapia Nutricional Oncológica do Instituto Monte Pascoal. Se torne um (a) especialista e faça a diferença no mercado de trabalho.



Fonte: Tua Saúde e Santini Ortomolecular

Imagem: 123RF