Já ouviu alguém dizer que come frango com batata doce para obter massa muscular um pouco mais rápido? Então, apesar desses dois alimentos fazerem parte da rotina de quem deseja crescer e ter bons resultados com a malhação existem várias outras opções capazes de diversificar a alimentação. Confira!

Entre as comidas que podem ajudar a pessoa a obter ganho de massa muscular estão:


Arroz com feijão e ovo;

Sanduiche de queijo branco;


Iorgute com granola;

Purê de batata e carne moída;

No entanto, é importante esclarecer que não há um alimento mágico capaz de aumentar a massa muscular. Por isso, além do exercício de força, é preciso que a alimentação seja balanceada, para que seja garantido o consumo adequado de todos os nutrientes, maior quantidade de calorias se comparado com o que foi gasto, maior teor de proteínas e distribuição adequada de proteína ao longo do dia.

Comer antes ou depois do treino?


Muitas pessoas prendem sua atenção somente no que comer antes ou depois da musculação e acabam consumindo poucas calorias no decorrer do dia. Dessa forma, é importante refletir o seguinte: se você deseja construir uma parede nova, dá certo chamar o pedreiro para levantar a parede sem ter o material de construção necessário para a obra?


Nesse sentido, o mesmo acontece na musculação, se não há calorias e proteínas suficientes para formar o músculo, não adianta fazer musculação na esperança de que você irá ganhar massa muscular.


Lembre-se que para o aumento de massa muscular o mais importante é o consumo total de calorias e nutrientes ao longo do dia.

Proteínas


A precisão de proteína varia de uma pessoa para outra, aquelas que são fisicamente ativas necessitam consumir mais proteínas do que indivíduos sedentários. Por causa do envelhecimento, idosos possuem uma resistência anabólica, demandando em média, o consumo do dobro de proteínas quando comparados a pessoas jovens.

Sendo assim, o tipo de proteína consumida pode estimular ainda mais a hipertrofia, a quantidade de aminoácidos, em especial, a leucina pode ser o gatilho para estimular todo o metabolismo anabólico, ou seja, o estímulo para formação dos músculos. E dentro dessa perpesctiva, o whey protein, possui grande quantidade de leucina por porção, e por esse motivo ficou muito popular.


Existe uma quantidade ideal de proteína por refeição?


Quando se trata de leucina, parece existir uma quantidade ótima de proteína para se consumir em busca de um resultado hipertrófico. Por isso, a distribuição da dose de proteína por refeição tem ganhado destaque no mundo científico. Por exemplo, para jovens: 4 refeições com 20 gramas de proteína podem ser mais interessantes do que 2 refeições com 40 gramas de proteína ou 8 refeições com 10 gramas de proteína.

Qual é melhor suplemento ou alimento?


Quando se leva em consideração se a melhor opção é consumir um scoop de whey protein ou uma porção de alimentos ricos em proteínas, a resposta é: depende. Ambos podem ser opções interessantes conforme a rotina ou preferência alimentar da pessoa. É possível atingir as necessidades proteicas tanto via suplemento quanto por alimento.


Para se ter uma noção maior, veja quanto vale 24 gramas de proteínas encontradas em uma porção de suplementos:


4 a 5 fatias médias de queijo branco;

680 ml de leite desnatado;


6 a 7 colheres de sopa de leite em pó;


1 filé pequeno (70 gramas) de carne bovina;


1 filé pequeno (75 gramas) de peito de frango;


8 a 9 fatias de sashimi (peixe cru);


3 a 4 ovos;


3 e ½ conchas médias de feijão;


5 colheres de sopa de grão de bico.

Além disso, é possível combinar as fontes alimentares para tornar mais fácil atingir essa necessidade diária, ou por refeição, sem precisar fazer uso dos suplementos. Mas, para os adeptos do whey protein, não há problemas! Só procure observar a lista de ingredientes do seu suplemento para checar se não há muito conservante, estabilizante e corantes artificiais no produto.

Se você atua na área da saúde e deseja ampliar seu conhecimento e melhorar sua forma de atender seus pacientes/clientes, então, conheça e se matricule na especialização em Terapia Ortomolecular e Fitoterápica "Ênfase na prática clínica" do Incursos. Aperfeiçoe suas técnicas profissionais e se torne um (a) especialista no assunto.



Fonte: Viva Bem

Imagem: 123RF