O caroço em amarelo ‘ouro’ chama atenção pelo cheiro inconfundível e por ser muito presente na culinária do Centro-Oeste brasileiro. Mas, o que muitos não sabem é que o fruto do pequizeiro traz diversos benefícios para o corpo. Além de ajudar a reduzir o colesterol, o pequi é rico em vitaminas, minerais e ácidos graxos, tem efeitos no controle da pressão arterial, e potentes propriedades anti-inflamatórias.


O pequi antes de ser extraído de sua casca possui tamanho semelhante de uma maçã, mas, suas propriedades vão além desta fruta contendo o dobro da quantidade de vitaminas C e E, além de ser rico em vitamina A. Dentre os benefícios do fruto, podemos citar:

Previne doenças


O pequi atua como potente antioxidante, auxiliando no combate ao envelhecimento e na prevenção de doenças relacionadas à visão e à pele, além de fortalecer a imunidade. Há ainda estudos que mostram efeitos sobre o lúpus, o diabetes e até mesmo câncer de fígado.


Rico em vitaminas e minerais


A polpa do fruto possui um alto teor de fibra alimentar, vitaminas do complexo B, vitamina C, minerais como cálcio, magnésio, fósforo, cobre, ferro e potássio, compostos fenólicos e carotenoides, suprindo boa parte das necessidades nutricionais da população.


Bom para o coração


Além do fruto em si também é possível extrair o óleo vegetal da polpa ou amêndoa do pequi, apresentando diferenças em suas composições. A maior modificação entre esses óleos é a predominância de ácidos graxos.

No óleo da polpa do pequi há maior concentração do ácido oleico, ômega 9, que ajuda a reduzir colesterol "ruim", LDL, pressão arterial e triglicerídeos. Já no óleo da amêndoa do pequi, geralmente consumido como suplemento, o ácido predominante é o palmítico, que é antioxidante e contém vitamina A.


Benefícios observados em estudo


Um estudo realizado por biólogos brasileiros mostrou que o óleo de pequi pode ter um efeito protetor quando o assunto é câncer de fígado. Os camundongos do experimento, que passaram 25 semanas ingerindo, além da alimentação normal, óleo do pequi, tiveram uma redução de 51% nas lesões do fígado consideradas pré-tumores, ou seja, que costumam anteceder o aparecimento de um câncer. Com o tempo, o fígado dos animais voltaram ao normal e as lesões foram reduzidas.

Cuidados


Vale ressaltar que é importante tomar certos cuidados no consumo do pequi devido a sua composição nutricional. Por conter predominância de gorduras, deve-se controlar a quantidade e a frequência de consumo do fruto. "As contraindicações são relativas ao consumo excessivo ou associadas às dietas desequilibradas", explica a nutróloga Marcella Garcez.


Além disso, para quem nunca comeu pequi, o alimento após ser preparado seja com arroz, molho de frango ou sozinho não pode ser mordido, o correto é somente raspar com os dentes ou com auxílio de colher ou garfo sua polpa. Isso porque o fruto possui espinhos que podem acabar indo parar na língua em situações de consumo errado.


Se você atua na área da saúde e gosta de estar atento (a) ao valor nutricional dos alimentos assim como em sua qualidade, o Incursos tem a pós-graduação certa para você! Conheça e matricule-se na especialização em Gestão da Qualidade, Produção e Higiene de Alimentos do Incursos. Amplie seu conhecimento e se destaque no mercado de trabalho como especialista no assunto.


Fonte: Viva Bem

Imagem: Uol