Na alimentação diária, normalmente, a tendência é lavar os alimentos comprados afim de consumi-los limpos e higienizados, principalmente em tempos de pandemia do novo coronavírus. No entanto, certos tipos de comidas ao serem lavadas podem espalhar as bactérias ainda mais pelo ambiente, ou até mesmo ter a textura e o sabor alterados. Um exemplo disso são as carnes, cogumelos e ovos. Por isso, saiba como deve ser a higienização desses alimentos.


Carnes


Dentre os tipos de carne como o frango, o peixe e a carne vermelha, nenhum deles devem ser lavados quando estiverem crus. Isso porque as bactérias presentes no alimento podem ser movidas e contaminar outras superfícies, utensílios de cozinha e até outras comidas.


Esse processo é denominado de ‘contaminação cruzada’ e além da higienização errada como foi mencionado acima, pode acontecer nos locais onde as carnes foram manuseadas, como por exemplo, a pia, bancada, tábua, ou até mesmo pelos objetos utilizados, facas, garfos e panos. As mãos de quem manuseia o alimento também pode ajudar na contaminação.


Outro detalhe, é que as bactérias gostam de umidade para se proliferar e se espalhar por todo o tecido da carne. "O contato com a água mais contamina do que limpa", afirma a nutricionista Iomara Isidorio Cavalcante. Esses micro-organismos podem provocar intoxicação alimentar e infecções gastrointestinais graves, gerando sintomas como as cólicas abdominais, febre, náuseas, vômitos e diarreia.


Além disso, segundo a nutricionista Natália Tartuce, a higienização inadequada das carnes podem reduzir a sua suculência, pois, retira um pouco do sangue no alimento.

De acordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), antes de consumir esses alimentos, é recomendado:

Ter cautela no momento de cortar, utilizando tábuas diferentes para cada tipo de alimento e que não sejam de madeira;

Manter o alimento refrigerado ou congelado, e descongelar somente no refrigerador ou no micro-ondas;

Cozinhar, assar ou fritar os alimentos em altas temperaturas, de forma que todas as partes deles atinjam no mínimo 70ºC, pois, esse é o método mais seguro de matar as bactérias;

Deixar o produto cru separado dos outros alimentos;

Lavar com água e sabão as superfícies de trabalho como: tábuas de corte, utensílios e as mãos após manusear o alimento cru.


Ovos


Antes de ir para os estabelecimentos de vendas, o ovo já passa por um processo de pré-lavagem nas indústrias, que diminui a quantidade de micro-organismos existente na casca. Depois da compra, ao ser armazenado na geladeira, essa higienização não é recomendada, porque ela pode retirar a película externa porosa da casca do ovo, que funciona como uma barreira de proteção, evitando a entrada de bactérias em seu interior.


Outro fator presente no ovo é sua casca porosa que possibilita trocas gasosas entre o conteúdo interno do ovo e o exterior, dessa forma, ao ser lavada, o aroma e qualidade microbiológica do alimento também são alterados. Por isso, é indicado somente higienizar o ovo antes de ser preparado.


Cogumelos


Os cogumelos são semelhantes a esponjas e absorvem muita água e, por isso não é recomendado lavar ou deixá-los de molho. Procedimentos assim podem modificar o sabor e a textura do alimento, ficando encharcado e bem murcho após ser refogado.


Em relação aos estudos sobre esse assunto, ainda não existem muitos que abordem a quantidade de bactérias no alimento conforme aponta a nutricionista Sayuri Vakimoto. Segundo ela a quantidade até então encontrada foi de 0,5%, um percentual muito baixo. Porém, é importante higienizá-lo antes do preparo, já que costumam ter resquícios de sujeira.


Para a limpeza dos cogumelos pode ser utilizado um pano limpo levemente umedecido com água. Como os cogumelos são consumidos após a cocção, não há necessidade de higienizar com solução de hipoclorito. Se tratando dos cogumelos dessecados, eles podem ser higienizados em água morna com sal.


Alimentos que devem ser lavados


Legumes e verduras são alimentos que devem ser higienizados com ou sem tempo de pandemia. O ideal é lava-los em água corrente antes de serem consumidos, principalmente, aqueles em que as cascas são retiradas ou que são consumidos crus.


Esses alimentos também precisam passar por uma limpeza com solução sanitizante. A lavagem feita somente com água corrente não elimina possíveis patógenos, somente a poeira que pode haver na superfície, e ao serem cortados ou manuseados, esses alimentos poderão ser contaminados.


Para que a esterilização seja feita de maneira completa e segura, o ideal é deixar o alimento de molho por até 10 minutos com a solução e a água. Geralmente, uma colher de sopa de água sanitária para até dois litros de água.


Se você atua na área da nutrição e gosta de estar atento sobre a qualidade dos alimentos, que tal aprofundar seus estudos nesta área e fazer uma pós-graduação? Matricule-se na especialização em Gestão da Qualidade, Produção e Higiene de Alimentos no Incursos. Amplie seu conhecimento e faça a diferença no mercado de trabalho como um (a) especialista no assunto.



Fonte: Viva Bem

Imagem: 123RF