É difícil encontrar alguém que não goste ou que nunca tomou café. A bebida mais consumida na primeira refeição do dia, não é à toa que leva o nome de café da manhã. No entanto é importante saber até que ponto o café é saudável e quando se torna prejudicial no dia a dia. Por isso, confira e esclareça suas dúvidas.


De acordo com a médica Cíntia Cercato, endocrinologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, estudos atuais já demonstraram que o café pode proteger a saúde do coração e prevenir doenças como Alzheimer e Parkinson.


Entretanto, o uso excessivo de café pode provocar arritmia, agitação, irritabilidade, nervosismo e insônia. Em gestantes, o consumo acima da quantidade segura pode causar atraso na formação cerebral do bebê em formação.

A USP publicou um estudo na revista "Clinical Nutrition", no qual, conclui que tomar três xícaras (720 ml) de café pode causar pressão alta em pessoas predispostas a desenvolver hipertensão. Essa quantidade varia conforme a condição de cada pessoa.

Quantidade adequada


Segundo a endocrinologista Cercato não há nenhum problema em tomar café todos os dias, porém, ela cita European Food Safe Authority, em que diz que a dose diária de cafeína depende de cada pessoa:

Adulto saudável com cerca de 70 kg: de 300 a 400 miligramas de cafeína (o equivalente a 4 xícaras de café coado)

Crianças (a partir de 2 anos) e adolescentes: 100 miligramas de cafeína (cerca de 1 xícara coado)

Gestantes e lactantes: 200 miligramas de cafeína (cerca de 2 xícaras coado)

Sensíveis à cafeína: de 100 a 200 miligramas de cafeína

Vale ressaltar também que o café expresso possui o triplo de cafeína que o coado. Neste caso, para saber quantas xicaras devem ser tomadas é preciso calcular e considerar o seguinte: 125 ml (meia xícara) de café coado tem 85 mg de cafeína, enquanto apenas 30 ml de café expresso contém 60 mg de cafeína.


Além do café o cacau também possui a cafeína, assim como no guaraná e em alguns chás. Por isso, não deve ser contabilizada somente a cafeína do café, mas de tudo o que consumimos no dia (por exemplo: chocolate, achocolatado, refrigerante à base de guaraná ou cola, chá etc).

Quem deve diminuir o consumo de café


Grávidas, pessoas que têm sensibilidade à cafeína e crianças e adolescentes. A endocrinologista, Cíntia Cercato, alerta que os cardiopatas e as pessoas que fazem uso de suplementos de academia, produtos ricos em cafeína devem beber café com moderação. "O café não é proibido aos cardiopatas, mas eles devem fazer uso moderado para não sentirem seus efeitos colaterais, como a arritmia", esclarece.


Tomar café vicia?


De acordo com Cercato, ainda não há estudos científicos que afirmam que o fato de beber café causa vício.


Como adoçar o café?


Alessandra Gaspar Sousa, nutricionista e doutora em Nutrição Humana pela Universidade de Brasília, afirma que o ideal é tomar o café puro, mas, caso queira adoçar o açúcar branco deve ser substituído por: melado de cana, açúcar demerara, açúcar de coco, açúcar mascavo e adoçantes à base de stévia.


A barista Isabela Raposeiras esclarece que o café de qualidade não é amargo. Dessa forma, quem não tolera tomar café sem açúcar, pode ser culpa do tipo de café que toma.

Composição do café


Quase livre de contraindicações quando consumido puro e dentro do que os médicos consideram "quantidade segura", o café vai muito além da cafeína, possui substância estimulante que aumenta a concentração, a disposição, a atenção, além de ajudar no desempenho esportivo.

"O café é rico em antioxidantes, minerais, vitaminas e flavonoides, mesma substância encontrada no vinho", explica Cercato.

Enquanto antioxidantes são substâncias químicas que ajudam a proteger nossas células de substâncias prejudiciais produzidas durante o metabolismo, os flavonoides ajudam na circulação sanguínea.

Tomar café também ajuda nosso cérebro a liberar os seguintes estimulantes naturais:

Dopamina: popularmente conhecida como "hormônio da felicidade", está relacionada com a motivação.

Adrenalina: hormônio relacionado com a euforia e a disposição.

Beber café engorda?


Segundo o nutrólogo do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo, Audie Nathaniel, "não há correlação de ganho de peso com o consumo de café puro, exceto se o mesmo for servido com açúcar."

Audie ainda diz que muitas pessoas associam o café com a perda de peso devido a sua ação termogênica e estimulante, o que acelera o metabolismo. Ele explica que realmente é verdade, mas para auxiliar na dieta seu consumo deve ser em conjunto com os hábitos alimentares e exercícios físicos regulares, pois, somente o café não faz milagres.

Crianças podem tomar café?


Apesar da resposta dividir opiniões dos especialistas da área, ainda não há estudos que comprovem malefícios do café para as crianças.


"A recomendação geral é que crianças menores de dois anos não tomem café. Acima disso, podem consumir, mas moderadamente. Por exemplo: não vemos problema em uma pequena quantidade de café misturada no leite no café da manhã. É melhor que usar o achocolatado", aconselha Cercato.

Cuidado ao tomar café velho


A nutricionista Alessandra recomenda consumir o café em até 30 minutos depois do preparo. "Após 30 minutos, o café fresco pode começar a ter um sabor ruim. Isso ocorre porque inicia-se o processo de oxidação do café, gerando a degradação das substâncias da bebida, alterando com isso o paladar e o aroma" explica.


Além disso, o fato de tomar café velho como por exemplo aquele que foi feito no período da manhã e está sendo tomado no fim da tarde, pode causar efeitos na saúde. "O café oxidado pode provocar efeitos prejudiciais na saúde, como problemas gastrointestinais e náuseas", afirma a nutricionista.

Se você atua no mercado de trabalho como nutricionista ou em outras áreas relacionadas e deseja ampliar seu conhecimento, comece sua especialização em Gestão da Qualidade, Produção e Higiene de Alimentos na Incursos. Aperfeiçoe suas técnicas e se torne destaque no meio profissional.



Fonte: G1

Imagem: Freepik