Na área de nutrição diversos métodos são desenvolvidos para que o corpo humano tenha eficácia nas suas funções vitais por meio da alimentação saudável e rica em nutrientes. No entanto, a perda de peso involuntária e diminuição da massa muscular são algumas das complicações causadas por uma série de doenças. Dessa forma, para que um indivíduo se recupere bem e se previna desses problemas é muito importante a utilização da terapia nutricional.

O método realizado por meio dessa terapia é uma das maneiras de garantir que o paciente continue se alimentando adequadamente, com todos os nutrientes necessários para a manutenção do seu bem-estar. Sendo assim, a terapia nutricional é a reunião de métodos terapêuticos utilizados para manter ou recuperar o estado nutricional do paciente. Ela tem capacidade de agir em pessoas com trauma, infecções, doenças em geral ou que acabaram de passar por um procedimento cirúrgico.

O principal propósito dessa técnica utilizada por profissionais da área é melhorar a situação nutricional do indivíduo, cuidando e evitando sua nutrição precária. O método mantém os níveis de proteína no plasma sanguíneo e alimenta o tecido corporal, de modo a impedir a deficiência dos macros e micronutrientes.

O tratamento de nutrição pode ser feito por via oral, por meio de suplementos nutricionais, ou por um tubo alimentar, método denominado como Nutrição Enteral ou, quando o paciente não consegue ingerir pelo trato digestivo, o suporte alimentar pode ser introduzido por meio de um cateter intravenoso, colocado diretamente nas veias, chamado de Nutrição Parenteral.


O modo como cada tipo de tratamento é realizado depende muito do estado de saúde e das necessidades do paciente. Uma pessoa que passa pelo procedimento de quimioterapia ou hemodiálise, por exemplo, tem necessidades diferentes daquele indivíduo que acaba de passar por um procedimento cirúrgico.

De maneira geral, o profissional da saúde responsável pela prescrição da terapia nutricional precisa seguir criteriosamente alguns passos e somente depois definir corretamente a melhor opção para o paciente. São eles:


triagem nutricional;

análise nutricional do indivíduo desnutrido ou em risco nutricional;

determinação da necessidade nutricional;

indicação da Terapia Nutricional a ser introduzida;

monitoramento e acompanhamento;

Avaliação da eficácia do procedimento por meio de indicadores de qualidade da Terapia Nutricional.

Benefícios da terapia nutricional


É importante assegurar a qualidade da Terapia Nutricional para garantir a eficácia do procedimento que está sendo aplicado e, assim, atestar a recuperação dos pacientes.


Depois que a Terapia Nutricional é estabelecida para o paciente é possível verificar melhoras através dos procedimentos que a pessoa recebe. Os principais resultados são:

melhora na taxa de glicemia;

aumento nas taxas de proteínas séricas;

impedimento da formação de edemas;

manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico do paciente, o que impede a sua desidratação;

recuperação das células sanguíneas;

aumento da imunidade;

facilitação do ganho de peso e massa muscular etc.


Os benefícios que o paciente recebe devido ao tratamento dessa terapia são de grande relevância para sua saúde. Além disso, é importante esclarecer quais são os casos principais para realização da Terapia Nutricional. Sendo eles:


obesidade,

idoso em condição frágil com disfagia,

pacientes com câncer;

pré e pós-operatório;

indivíduos com insuficiência renal;

pancreatite;

síndrome do intestino curto, dentre outros.

Dessa forma fica evidente que a Terapia Nutricional é recomendada para o tratamento de diversas enfermidades. Com os procedimentos corretos para cada quadro clínico que o paciente se encontra os resultados são muito mais rápidos. A aplicação do tratamento deve ser contínua e ascendente. Dessa maneira, a qualidade da terapia é garantida.

Se você já atua na área de Nutrição e deseja ampliar seu conhecimento comece sua especialização em Terapia Nutricional Oncológica na Monte Pascoal. Aperfeiçoe suas técnicas de tratamento e se destaque no mercado de trabalho.



Fonte: Blog Dietbox

Imagem: Freepik