Já pensou em emagrecer comendo jiló? O alimento, que é "odiado" por algumas pessoas pelo seu sabor amargo, é um aliado da saúde e da perda de peso. O jiló é rico em vitaminas (A, C e B), minerais (cálcio, potássio, fósforo, ferro e magnésio), antioxidantes e fibras.

De acordo com informações do UOL, uma porção de 100g do alimento possui somente 27 calorias, 1,4 g de proteínas, 6,2 g de carboidratos e 4,8 g de fibras. Os profissionais de nutrição da Taeq prepararam uma lista com os benefícios de inserir o jiló no cardápio alimentar. Confira:

1- Aliado da balança: o jiló ajuda na perda de peso, por ser um alimento pouco calórico, rico em água (aproximadamente 90%) e fibras. Consumir esse alimento ajuda a controlar o apetite e a evitar as beliscadas ao longo do dia, pois aumenta a sensação de saciedade. Vale lembrar que para emagrecer não basta apenas comer jiló, você precisa adotar hábitos saudáveis, alimentação equilibrada e prática regular de exercícios.

2- Faz bem para o coração: a presença da vitamina B1 em sua composição atua diretamente no bom funcionamento do sistema cardiovascular. Além disso, o alimento é rico em potássio, que também traz benefícios para a saúde do coração, pois o potássio equilibra a quantidade de sódio no nosso organismo, o que ajuda a prevenir a pressão alta e outros problemas que podem afetar o órgão.

3- Previne o envelhecimento precoce: a alta concentração de flavonoides - substâncias que contam com ação antioxidante e anti-inflamatórias - atua contra o envelhecimento precoce e contra células cancerígenas pelo combate aos radicais livres. Também protege as artérias, pois impede o acúmulo de colesterol ruim.

4- Combate a anemia: o jiló é um alimento rico em ferro, um dos principais nutrientes para combater a anemia. A dica é inserir além do jiló outros alimentos ricos em ferro na dieta alimentar, como feijão e bifé de fígado.

5- Ajuda a combater o diabetes: o jiló é rico em fibras e pobre em carboidrato, isso ajuda a controlar a absorção de glicose, evitando picos ou quedas súbitas do açúcar no sangue.

Fonte de texto: www.ibahia.com