Todos os vegetais são bons aliados numa dieta saudável ou, mais especificamente, de emagrecimento. No entanto, para o segundo objetivo, há alguns — especificamente, sete — que se têm tornado mais populares. Não são alimentos desconhecidos nem difíceis de encontrar no supermercado. Na verdade, é bastante provável que os tenha lá em casa.

De acordo com a nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, por serem ricos em fibra, com baixo teor de hidratos de carbono e conterem poucas calorias, os vegetais de folha verde escura, por exemplo, são bons aliados na dieta. Eles não acrescentam muitas calorias ao prato mas ajudam a manter a sensação de saciedade durante mais tempo. Ou seja, a fazer menos ataques compulsivos ao frigorífico ou à despesa. Dentro deste grupo, a especialista destaca os espinafres — um dos tais sete alimentos. Este vegetal tem uma boa quantidade de fibra solúvel, o que é um ponto a seu favor.[/p]

"Cientificamente, já se comprovou que dez gramas da ingestão de fibra solúvel diminuem a gordura visceral em 3,7 por cento", diz à NiT a autora do blogue "Manias de Uma Dietista".

Espinafres

Duas chávenas deste alimento cru significam apenas 14 calorias. Ou seja, é uma opção que pode comer sem medo. Mas há mais razões para os espinafres serem úteis no processo de emagrecimento. Por exemplo, têm uma boa quantidade de fibra solúvel, o que ajuda na digestão e mantém os níveis de açúcar no sangue estáveis. Segundo a nutricionista Bárbara de Almeida Araújo, a proteína também pode ajudar na perda de gordura abdominal, uma vez que provoca uma sensação de saciedade e ajuda a acelerar o metabolismo. E, adivinhe: a quantidade deste macronutriente presente nos espinafres é bastante superior quando comparada com outros vegetais.

Agrião

Este alimento é cada vez mais popular no mundo fit, sendo visto como um aliado na perda de peso. Há várias razões que explicam este fenómeno e uma delas é o valor energético. "Cada 100 gramas de agrião significam apenas 11 calorias", diz a especialista. Além disso, é pobre em gordura e rico em fibras que ajudam a manter a sensação de saciedade durante mais tempo ou, por outras palavras, a fazer menos ataques compulsivos ao frigorífico e à gaveta onde estão as bolachas. Como explica o site "Medical News Today", apenas duas chávenas desta planta contêm também 1,6 gramas de proteína e 0,9 de hidratos de carbono. Este alimento sobressai, ainda, pelo seu teor elevado em ferro, iodo, vitamina C e betacaroteno — antioxidante que retarda o envelhecimento e ajuda a manter o bronzeado.

Cenoura

Independentemente da sua forma, a cenoura pode e deve fazer parte da dieta. É que 100 gramas deste alimento significam cerca de 40 calorias e quase três gramas de fibra. Este último valor pode ajudar a manter a sensação de saciedade durante mais horas, fazendo com que se coma de forma mais controlada nas refeições seguintes — é também por isso que muita gente corta este legume em palitos para comer ao lanche. A composição nutricional da cenoura não muda totalmente por estar crua ou cozinhada. Porém, cozinhada tem um valor calórico ligeiramente menor. Além disso, há apenas uma pequena alteração da sua estrutura, notando-se mais o sabor doce.

Courgette

Primeira vantagem: é bastante pobre em calorias. Para sermos mais precisos, são 17 em cada 100 gramas. Além disso, contém dois gramas de hidratos de carbono, um grama de fibra e 0,3 de gordura. O seu alto teor em água (94 mililitros) também faz dele um superalimento. Mas os valores nutricionais surpreendentes não acabam aqui. Vale a pena destacar o facto de ser rico em vitamina C (17 miligramas também por cada 100 gramas), magnésio (20 miligramas), cálcio (22 miligramas), potássio (248 miligramas) e fósforo (33 miligramas). A casca da courgette é rica em fibras, o que contribui para o bom funcionamento intestinal, prevenindo a prisão de ventre e ajudando na proteção contra alguns tipos de cancro.

Couve-flor

Este alimento tem apenas 25 calorias por cada 100 gramas e essa é a principal razão para fazer parte de várias dietas de perda de peso. Não contém gorduras saturadas e tem apenas cinco gramas de hidratos de carbono. O facto de ser um vegetal rico em fibra (2,4 gramas) ajuda a manter a sensação de saciedade sem elevar demasiado o valor energético na dieta. Há mais benefícios para incluir o vegetal na alimentação diária. Ele faz parte da família das brássicas ou crucíferas, a mesma dos brócolos, da couve e do repolho, que são verduras ricas em sulforafano – um antioxidante que ajuda o fígado a eliminar substâncias estranhas, como chumbo e mercúrio.

Aipo

O aipo representa 16 calorias por 100 gramas. Por esta razão, é um ótimo aliado para quem quer perder peso. Quando este é o objetivo, é importante encontrar alimentos que, além de nutritivos, sejam pouco calóricos. Quando cozido, as calorias aumentam ligeiramente para 24, o que é perfeitamente aceitável numa dieta de emagrecimento, bem como na alimentação de alguém que procura apenas ser mais saudável. Por ser rico em água e fibras, este vegetal também ajuda a promover a sensação de saciedade no organismo. Kim Kardashian, Pharrell, Miranda Kerr, Sylvester Stallone e o tenista Novak Djokovic são apenas alguns dos famosos que incluem na rotina diária este alimento num polémico sumo.

Beterraba

A beterraba é um alimento com baixo valor energético (43 calorias por cada 100 gramas) e rico em água (cerca de 87 por cento da sua composição). Além disso, contém duas gramas de fibra por cada 100, o que quer dizer que ajuda a manter a sensação de saciedade. Segundo a autora do blogue "Manias de Uma Dietista", a beterraba também é conhecida por diminuir a pressão arterial, devidos aos nitratos presentes na sua composição que ajudam a relaxar os vasos sanguíneos.

Fonte de texto: nit.pt