Consumir os flavonoides presentes no cacau, que são antioxidantes encontrados nesses grãos, não só é bom para a memória e função cognitiva a curto prazo, como também pode proteger contra o declínio cognitivo característico do nosso envelhecimento, segundo estudo.
Que o chocolate pode ser bom para o nosso organismo não é uma novidade, e muitos estudos anteriores já investigaram seus benefícios. No entanto, uma equipe de pesquisadores italianos realizou uma análise dos estudos disponíveis, observando especificamente os benefícios do chocolate para o nosso cérebro logo após ser consumido e também ao longo do tempo.
O estudo, publicado no Frontiers in Nutrition, descobriu que consumir os flavonoides presentes no cacau gera aumento em nosso fluxo sanguíneo que irrigam as principais partes do cérebro, melhorando a memória, a capacidade de atenção e até a velocidade de processamento de imagens visuais. Os efeitos do chocolate, no entanto, eram sutis entre adultos jovens e saudáveis, de acordo com os resultados dos testes cognitivos aplicados.
Contudo, a pesquisa também demonstrou que o consumo regular dessas substâncias presentes no cacau durante longos períodos afeta positivamente a parte do cérebro ligada à cognição relacionada à idade, melhorando significativamente o desempenho de adultos mais velhos, que já sofriam declínio cognitivo leve e protegendo potencialmente contra isso.
"Este resultado sugere o potencial dos flavanóis de cacau para proteger a cognição em populações vulneráveis ao longo do tempo, melhorando o desempenho cognitivo", afirmam os autores Valentina Socci e Michele Ferrara, da Universidade de L'Aquila, em um comunicado. "Se você olhar para o mecanismo subjacente, os flavanóis de cacau têm efeitos benéficos para a saúde cardiovascular e podem aumentar o volume de sangue cerebral no no hipocampo", explicaram. "Esta estrutura é particularmente afetada pelo envelhecimento e, portanto, a fonte potencial de declínio da memória relacionada à idade nos seres humanos".
Os pesquisadores ainda descobriram que, especialmente entre as mulheres, comer cacau após uma noite de privação de sono realmente contrabalançou os efeitos negativos da falta de sono e melhorou a função cognitiva.
Os autores sugerem em seu artigo que a administração de flavanóis de cacau poderia ser usada como "uma nova ferramenta nutracêutica interessante para proteger a cognição humana e combater diferentes tipos de declínio cognitivo", seja relacionados à privação do sono ou um declínio natural da cognição na velhice.
Claro, os pesquisadores apontam que, embora "a ingestão regular de cacau e chocolate possa, de fato, proporcionar efeitos benéficos sobre o funcionamento cognitivo ao longo do tempo", a desvantagem óbvia de consumir muito chocolate é o açúcar e o leite presentes no chocolate. O tipo de chocolate mais indicado,portanto, é o escuro, com maior porcentagem de cacau.


Fonte de conteúdo: IFL Science
Fonte de imagem: Google