Durante a adolescência, a estrutura e função do cérebro está em contínua mudança, ao mesmo tempo que os adolescentes se tornam mais independentes e começam a fazer suas próprias escolhas alimentares.

Os alimentos ricos em calorias e de baixa qualidade nutricional estão cada vez mais acessíveis, tornando o consumo mais frequente e a dieta de baixa qualidade, sem nutrientes importantes para a saúde cerebral, como ácidos graxos poli-insaturados ômega-3, que não podem ser produzidos pelo corpo humano e que precisam ser obtidos a partir dos alimentos (como peixes e vegetais).

O pesquisador Oliver Manzoni e sua equipe alimentaram os camundongos com uma dieta equilibrada até o início da adolescência, e só depois disso a dieta foi modificada por uma pobre em nutrientes. Os camundongos alimentados com uma dieta pobre durante a adolescência demonstraram redução nos níveis de ômega-3 no córtex pré-frontal medial e no núcleo accumbens na idade adulta, se comparados aos outros camundongos que tiveram uma alimentação balanceada. A dieta de baixa qualidade prejudicou a capacidade do cérebro de ajustar as conexões entre os neurônios nessas regiões.


Fonte de conteúdo: ScienceDaily

Fonte de imagem: Google